MENU

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Verdadeira Hospitalidade

Nossa família se mudou para a Califórnia em 1987, para assumir o pastoreio de uma igreja numa região litorânea. No dia em que chegamos, meu secretário nos buscou no aeroporto e nos levou para nossa casa. No trânsito, a primeira coisa que vi foi um adesivo de para-choque, que dizia: “Bem-vindo à Califórnia… Agora, vá para casa!” Não era exatamente uma acolhida calorosa e alegre ao ensolarado sul da Califórnia!
Fico imaginando se há, em nossas vidas, ocasiões em que enviamos sinais semelhantes às pessoas ao nosso redor. Quer estejamos na igreja, no bairro ou em encontros sociais, existem momentos em que não fazemos os outros se sentirem bem-aceitos em nosso mundo?
No livro de Romanos 12:13, Paulo instruiu os seus leitores a “praticarem a hospitalidade”. O livro de Hebreus vai além, dizendo: “Não negligencieis a hospitalidade, pois alguns, praticando-a, sem o saber acolheram anjos” (Romanos 13:2). Demonstrando bondade e misericórdia àqueles que vêm até nós, tornamos audível o convite do Salvador para a salvação, que declara: “… Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida” (Apocalipse 22:17).
Demonstrar boa hospitalidade a alguém pode ser o primeiro passo para mostrar a essa mesma pessoa o caminho do céu.

FONTE:
William E. Crowder

Verdadeira Hospitalidade

A Glória de Deus

Amo beisebol e sou fã desse esporte desde que era garotinho. Gosto, especialmente, de acompanhar o meu time. Mas, recentemente, o jogo fraco e as várias derrotas logo no início da temporada me frustraram tremendamente. Então, para meu próprio bem-estar, dei um tempo. Passei quatro dias evitando tudo que se relacionasse ao meu time favorito.
Durante esses quatro dias sem envolver-me com meu time, comecei a perceber como é difícil abrir mão das coisas às quais nos acostumamos. No entanto, há momentos em que Deus quer que façamos isso.
Por exemplo, podemos estar envolvidos numa atividade que se tornou absolutamente envolvente – e sabemos que seria melhor limitá-la (1 Coríntios 6:12). Ou podemos ter um hábito ou uma prática que sabemos que não agrada a Deus e percebemos que precisa ser abandonado porque o amamos e queremos que Ele seja glorificado por nosso intermédio (Romanos 15:34).
Com a ajuda do Senhor, conseguimos parar o que interfere em nosso relacionamento com Ele. Deus nos deu a provisão do livramento (1 Coríntios 10:13) e o Espírito fornece o poder (Romanos 8:5).
Peçamos a Ele para nos ajudar a não permitir que algo impeça Sua glória de brilhar por nosso intermédio.

FONTE:
J. David Branon

A Glória de Deus

Superação - Crianças com câncer viram super heróis em hospital em são paulo
Uma unidade hospitalar que trata crianças com câncer em São Paulo tem agora uma superfórmula para lutar contra a doença. Não, não se trata de nenhum remédio novo, mas o bom e velho bom humor para superar adversidades.

A agência de publicidade JWT Brasil, com o apoio da DC Comics, criou a campanha para o Hospital A. C. Camargo, localizado na zona sul da cidade.

Revestiram os frascos usados no tratamento com capinhas ilustradas com os heróis, distribuíram revistas personalizadas para a campanha e transformaram os corredores da ala pediátrica em uma filial da "Liga da Justiça". Tem como não apoiar uma iniciativa dessas fonte: virgula

Crianças com câncer viram super heróis em hospital em são paulo

terça-feira, 28 de maio de 2013

Devedor

Dizem as histórias que, quando jovem, Robert Robinson (1735-90) gostava de envolver-se em confusão com os seus amigos. Aos 17 anos, porém, ouviu uma pregação de George Whitefield baseada no evangelho de Mateus 3:7 e reconheceu a sua necessidade de salvação em Cristo. O Senhor transformou a vida de Robinson e ele se tornou um pregador. Ele também compôs vários hinos, incluindo o mais conhecido, “Fonte és Tu de toda bênção” (HCC 17).
Ultimamente, tenho ponderado sobre a maravilhosa graça de Deus para nós e a última estrofe desse hino: “Devedor à Tua graça, cada dia e hora sou!” O hino traz à mente as palavras do apóstolo Paulo: “O amor de Cristo nos constrange […] para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou” (2 Coríntios 5:14-15).
Não podemos conquistar o amor e a graça de Deus. Mas, porque Ele a deu deliberadamente a nós, só podemos amá-lo, em retribuição, vivendo por Ele! Não tenho bem certeza de como é isso, mas, deve incluir o aproximar-se dele, ouvir a Sua Palavra, servir e obedecê-lo por gratidão e amor.
Como devedores, somos chamados a viver cada dia para Jesus, que se entregou por nós.

FONTE:
Anne M. Cetas

Devedor

O tempo

O tempo é um argucioso jogador. Aposta sempre nele mesmo. Infindo egocentrismo. E, enquanto ele colhe os frutos de suas próprias vitórias, a vida, ainda que gloriosa, excêntrica e venerável, vai perdendo suas vitalidades, emagrecendo seus recursos e minguando suas energias até o dia em que, totalmente incapaz frente à tão ávido e sortudo jogador, ela entrega todas as suas fichas, despede-se do tempo e resigna-se à sua imutável capacidade de não mais existir. Mas, antes do desaparecer, meio graciosa e muito agradecida, ela olha para o seu adversário, resgata a memória de toda a sua caminhada, abre um contagiante sorriso e, com o último suspiro de sua essência sussura no coração do tempo um enfático “Obrigado”. (Tadany – 27 03 11)

Tadany. Pensamento 785.
www.tadany.org ®

O tempo

A mulher mãe

O mês de maio é dedicado às mães. Tudo começou nos Estados Unidos, com Anna Jarvis.
No segundo domingo de maio de 1907, ela resolveu transferir para todas as mães do mundo a homenagem que seus amigos prestavam para sua própria mãe, Anna Reeves Jarvis.
A idéia foi abraçada em nosso país em 1919, mas somente em 1932, por Decreto Presidencial, passou a se dedicar o segundo domingo de maio para se homenagear as mães.
O interessante, no episódio, é que alguns de nós nos recordamos que temos mãe somente no dia em que o calendário assinala.
E, contudo, mãe é uma personagem fundamental em nossas vidas.
O cineasta espanhol Pedro Almodóvar narra suas experiências com sua mãe.
Diz se lembrar dela em todos os momentos de sua vida. Recorda como ela era extremamente criativa. Uma pessoa de iniciativa.
Em uma época que viveram num pequeno povoado espanhol onde a vida era difícil, porém barata, sua mãe começou a trabalhar como leitora e escrevedora de cartas.
Com o que ganhava complementava o salário do marido. O menino Pedro, à época com 8 anos, começou a observar que o texto que a mãe lia não correspondia ao que estava no papel.
Parte ela inventava. As vizinhas nem tomavam conhecimento disso, porque o inventado era algo que preenchia aquelas vidas.
Ela acrescentava uma observação de carinho, de afeto que a carta não trazia.
Era como se ela preenchesse as lacunas das cartas para tornar aquelas vidas sofridas mais alegres.
Os improvisos passaram a falar mais alto para o menino Pedro. Continham uma grande lição.
Estabeleciam a diferença entre a ficção e a realidade e o quanto a realidade necessitava da ficção para ser completa, mais agradável, mais fácil de se viver.
Possivelmente por passar a olhar a vida por este ângulo, escolheu a carreira de cineasta.
Todos nós percebemos, às vezes somente depois que elas se vão, que as mães são extremamente importantes.
Não necessitam, verdadeiramente, fazer nada de especial para serem essenciais, importantes, inesquecíveis, didáticas. Elas simplesmente o são.
Quem não se recordará das primeiras lições aprendidas com aquela personagem única?
Quem não haverá de se lembrar com emoção das noites de mal estar em que ela ficou sustentando-nos o corpo contra o seu, num aconchego de carinho?
A primeira ida ao colégio, a mão protetora. O afago no dia da desilusão da perda de um jogo na escola.
O enxugar das nossas lágrimas no dia do insucesso na peça teatral, em que esquecemos o texto e vimos a turma toda a nos olhar, em expectativa.
* * *
Há sempre renúncia na mulher que opta por ser mãe. No anonimato da sua abnegação, ela permanece vigilante aos deveres assumidos com alegria junto ao filho.
Frutos do seu devotamento, conseguimos vencer a noite do tempo e brilhar no mundo.
Enquanto as mães se multiplicarem no mundo podemos guardar a certeza do descortinar de um futuro melhor para a Humanidade.

A mulher mãe

sexta-feira, 3 de maio de 2013

não desista continue buscando

Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.
Filipenses 4:6

Temos que aprender a confiar em Jesus , e crer que Ele está em tudo em nossa vida , mesmo quando tudo parece difícil e lutas e as pressões .
Já se sentiu acuado ? Cobrado?
Pense que é o próprio Deus fazendo isso em você , para mudar o que não esta bom .
Já se esforçou para mudar algo em você, sem ver muitos resultados ?
Pois bem não é assim que funciona .
O que você tem que fazer é clamar , é buscar a Deus é falar para ele Deus eu não consigo sozinho.
Confie no senhor , creia que o seu coração disposto fara Deus transformar o que não é bom em você.

Apenas confie e não fique desesperado , as lutas vem , as dificuldades vem para nos lapidar e fazer com sejamos pessoas melhores e confiantes em Deus.

Não diga no seu desespero , estou cansado de lutar , ou desanimado . Lembre-se de quem você é em Jesus , declare em alta voz sou: Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus. Filipenses 1:11

Comece a pensar na palavra , faça um lista de quem você é em Jesus o que você pode e declare para você mesmo nos próximos meses.

não desista continue buscando

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Você é o que deseja ser

João era um importante empresário. Morava em um apartamento de cobertura, na zona nobre da cidade.
Ao sair pela manhã, deu um longo beijo em sua amada, fez sua oração matinal de agradecimento a Deus pela sua vida, seu trabalho e suas realizações.
Tomou café com a esposa e os filhos e os deixou no colégio. Dirigiu-se a uma das suas empresas.
Cumprimentou todos os funcionários com um sorriso. Ele tinha inúmeros contratos para assinar, decisões a tomar, reuniões com vários departamentos, contatos com fornecedores e clientes.
Por isso, a primeira coisa que falou para sua secretária, foi: Calma, vamos fazer uma coisa de cada vez, sem stress.
Ao chegar a hora do almoço, foi curtir a família. À tarde, soube que o faturamento do mês superara os objetivos e mandou anunciar a todos os funcionários uma gratificação salarial, no mês seguinte.
Conseguiu resolver tudo, apesar da agenda cheia. Graças a sua calma, seu otimismo.
Como era sexta-feira, João foi ao supermercado, voltou para casa, saiu com a família para jantar.
Depois, foi dar uma palestra para estudantes, sobre motivação.
Enquanto isso, Mário em um bairro pobre de outra capital, como fazia todas as sextas-feiras, foi ao bar jogar e beber.
Estava desempregado e, naquele dia, recusara uma vaga como auxiliar de mecânico, por não gostar do tipo de trabalho.
Mário não tinha filhos, nem esposa. A terceira companheira partira, cansada de ser espancada e viver com um inútil.
Ele morava de favor, num quarto muito sujo, em um porão. Naquele dia, bebeu, criou confusão, foi expulso do bar e o mecânico que lhe havia oferecido a vaga em sua oficina, o encontrou estirado na calçada.
Levou-o para casa e depois de passado o efeito da bebedeira, lhe perguntou por que ele era assim: Sou um desgraçado, falou. Meu pai era assim. Bebia, batia em minha mãe.
Eu tinha um irmão gêmeo que, como eu, saiu de casa depois que nossa mãe morreu. Ele se chamava João. Nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma.
Na outra capital, João terminou a palestra e foi entrevistado por um dos alunos: Por favor, diga-nos, o que fez com que o senhor se tornasse um grande empresário e um grande ser humano?
Emocionado, João respondeu: Devo tudo à minha família. Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego algum.
Quando minha mãe morreu, saí de casa, decidido que não seria aquela vida que queria para mim e minha futura família. Tinha um irmão gêmeo, Mário, que também saiu de casa no mesmo dia. Nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma.
* * *
O que aconteceu com você até agora, não é o que vai definir o seu futuro, e sim a maneira como você vai reagir a tudo que lhe aconteceu.
Não lamente o seu passado. Construa você mesmo o seu presente e o seu futuro.
Aprenda com seus erros e com os erros dos outros.
O que aconteceu é o que menos importa. Já passou.
O que realmente importa é o que você vai fazer com o que vai acontecer.
E esta é uma decisão somente sua. Você decide o seu dia de amanhã. De tristeza ou de felicidade. De coisas positivas ou de amargura, sem esperança.
Pense nisso! Mas pense agora!

Você é o que deseja ser

em busca da felicidade
A felicidade é um estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude são transformados em emoções ou sentimentos que vai desde o contentamento até a alegria intensa ou júbilo.

A felicidade tem, ainda, o significado de bem-estar espiritual ou paz interior. Existem diferentes abordagens ao estudo da felicidade - pela filosofia, pelas religiões ou pela psicologia. O homem sempre procurou a felicidade. Filósofos e religiosos sempre se dedicaram a definir sua natureza e que tipo de comportamento ou estilo de vida levaria à felicidade plena.

Todos anseiam ser felizes. Ser feliz é o desejo mais profundo do coração humano. Por isso, na passagem do ano desejamos um Feliz Ano Novo uns aos outros. Quando alguém casa, desejamos felicidades para o futuro do casal. Alguém que se forma nos estudos também recebe os votos de felicidades para sua vida profissional.

Existem muitas coisas que "trazem felicidade" e que podem ter as mais diferentes formas: para o cavaleiro a felicidade deste mundo está no lombo de um cavalo. Se alguém escapou ileso de um acidente, costumamos dizer que ele "teve a felicidade de não se ferir".

Quantos buscam sua felicidade no jogo, na loteria ou no esporte? Outros tentam alcançar a felicidade por meios artificiais.

Recentemente lemos em uma revista: A ânsia pela felicidade e por emoções fortes leva milhões de jovens a estenderem suas mãos para a droga Ecstasy. Mas depois da euforia vem a ressaca – física e emocional...

A ânsia por felicidade, por sentimentos intensos e o contato com outras pessoas leva muitos jovens a consumirem a droga regularmente. A busca da felicidade e da alegria de viver mostra com extrema clareza que o ser humano de modo geral é infeliz. Até as pessoas que parecem ter alcançado tudo o que este mundo pode oferecer em brilho e glória, muitas vezes dão provas de sua infelicidade.

O mundo da música e do cinema fala de felicidade, amor e alegria, mas a vida de muitos artistas prova que eles próprios são tudo menos felizes. Todos falam de felicidade, mas tão poucos são felizes.

Fonte: Portal A Paz

em busca da felicidade