Receita de Ano Novo Feliz

Receita de Ano Novo Feliz
Pegue 12 meses inteiros. Limpe-os bem, tirando toda a amargura, ódio e inveja. Deixe-os tão limpos quanto possível.

Depois corte cada mês em 28, 30 ou 31 partes diferentes, mas não pegue todas de uma vez só. Prepare-as pouco a pouco, atento aos ingredientes.

Misture bem em cada dia uma porção de fé, uma porção de paciência, uma porção de coragem e uma porção de trabalho.

Adicione uma parte de esperança, lealdade, generosidade, meditação e boa vontade.

Tempere tudo com pitadas de espiritualidade, diversão, um pouco de brincadeiras e um copo cheio de bom humor.

Despeje tudo isso numa tigela de amor.

Cozinhe bem, com muita alegria, e enfeite com um sorriso.

Depois sirva tranqüila, desapegada e carinhosamente.

Assim você está destinado a ter um Feliz Ano Novo!

Autor desconhecido
10

Não apresse o rio

Não apresse o rio
O rio corre sozinho, vai seguindo seu caminho.
Não necessita ser empurrado.
Para um pouquinho no remanso.
Apressa-se nas cachoeiras.
Desliza de mansinho nas baixadas.
Precipita-se nas cascatas.
Mas, no meio de tudo isso vai seguindo seu caminho.
Sabe que há um ponto de chegada.
Sabe que seu destino é para a frente.
O rio não sabe recuar.
Seu caminho é seguir em frente.
É vitorioso, abraçando outros rios, vai chegando no mar.
O mar é sua realização.
É chegar ao ponto final.
É ter feito a caminhada.
É ter realizado totalmente seu destino.
A vida da gente deve ser levada do jeito do rio.
Deixar que corra como deve correr.
Sem apressar e sem represar.
Sem ter medo da calmaria e sem evitar as cachoeiras.
Correr do jeito do rio, na liberdade do leito da vida,
sabendo que há um ponto de chegada.
A vida é como o rio.
Por que apressar?
Por que correr se não há necessidade?
Por que empurrar a vida?
Por que chegar antes de se partir?
Toda natureza não tem pressa.
Vai seguindo seu caminho.
Assim também é a árvore, assim são os animais.
Tudo o que é apressado perde o gosto e o sentido.
A fruta forçada a amadurecer antes do tempo perde o gosto.
Tudo tem seu ritmo.
Tudo tem seu tempo.
E então, por que apressar a vida da gente?
Desejo ser um rio.
Livre dos empurrões dos outros e dos meus próprios.
Livre da poluição alheias e das minhas.
Rio original, limpo e livre.
Rio que escolheu seu próprio caminho.
Rio que sabe que tem um ponto de chegada.
Sabe que o tempo não interessa.
Não interessa ter nascido a mil ou a um quilômetro do mar.
Importante é chegar ao mar.
Importante é dizer "cheguei".
E porque cheguei, estou realizado.
A gente deveria dizer: não apresse o rio, ele anda sozinho.
Assim deve-se dizer a si mesmo e aos outros: não apresse a vida, ela anda sozinha
Deixe-a seguir seu caminho normal.
Interessa saber que há um ponto de chegada e saber que se vai chegar lá.
Barry Stevens
Do livro: NÃO APRESSE O RIO
0

O pequeno peixe

O pequeno peixe
Era uma vez, um lindo aquário, enorme, onde havia muitos peixes de vários tipos e tamanhos.

Na parte de cima do aquário estavam os peixes maiores, pois quando a comida caía na água eram os primeiros a comer. Então os peixes de cima estavam sempre satisfeitos, nunca lhes faltava comida.

Na parte intermediária estavam os peixes de porte médio, havia para eles muita comida ainda, que os grandes peixes da parte de cima não comiam, mas não tinha tanta comida assim para que pudessem ficar grandes.

Na parte de baixo estavam os pequenos peixes. A comida que eles tinham para comer mal dava para deixá-los vivos, pois era a sobra dos peixes de cima.

No meio desse ambiente nasceu um pequeno peixe. Ele não se conformava com aquela situação, e começou a nadar pelo aquário, foi quando encontrou um pequeno buraco e ficou pensando onde aquele buraco iria levá-lo. Tinha uma grande esperança de mudar aquele quadro onde nasceu. O pequeno peixe então resolveu passar pelo buraco e ver onde ia parar.

Encontrou um fio de água que o levou para um ralo, do ralo caiu em um encanamento, e foi parar em um rio. Observou aquele lugar e viu que era maravilhoso, não faltava comida, tinha espaço suficiente para nadar e ir onde quisesse. Mas o pequeno peixe pensou em seus amigos do aquário e resolveu voltar para falar a respeito do lugar maravilhoso que encontrou.

Voltou ao aquário e começou a falar com todos sobre o lugar maravilhoso que havia encontrado. Todos os peixes ficaram curiosos e questionaram o que deveriam fazer para chegar a esse local. Foi quando o peixinho falou:

Os peixes grandes da parte de cima, deverão mudar de lugar, terão que vir para a parte de baixo, para perder peso e assim poder passar pelo pequeno buraco. Os peixes da região intermediária, deverão se alimentar menos, para perder um pouco de peso também. E os peixes de baixo, deverão se alimentar um pouco mais para obter forças para seguir viagem.

A confusão dentro do aquário começou, muita discussão, muita discórdia, e começaram a se revoltar contra o pequeno peixe. Depois de muita briga os peixes tomaram uma decisão, resolveram matar o peixinho que havia causado tanto transtorno àquele lugar.

Conclusão: Quantos de nós não" matamos" todos os dias as ideias, os conselhos, as opiniões, apenas porque não queremos mudar a forma com que estamos acostumados a viver e a agir? Até quando nossas resistências irão nos impedir de conhecer as coisas maravilhosas que estão apenas à espera de um pouco de humildade? Pense no quanto você tem sido resistente com a sua vida...

Autor desconhecido
0

Os cinco sinos

Os cinco sinos

Era uma vez um hotel chamado Estrela de Prata. O hoteleiro não conseguia fazer a receita cobrir as despesas, embora se esforçasse ao máximo para atrair hóspedes oferecendo um hotel confortável, um serviço cordial e preços razoáveis. Por isto, desesperado, foi consultar um sábio.

- É muito simples. Você deve mudar o nome do hotel.

- Impossível, - retrucou o hoteleiro. - Há gerações ele é Estrela de Prata, assim é conhecido em todo o país.

- Não, - disse o sábio com firmeza. - Agora você deve chamá-lo de Cinco Sinos e, na entrada, colocar uma fileira de seis sinos.

- Seis sinos? Isso é absurdo! De que adiantaria?

- Experimente e verá, - recomendou o sábio com um sorriso.

Então, o hoteleiro experimentou, e eis o que viu: cada viajante que passava pelo hotel fazia questão de entrar para apontar o erro, acreditando que ninguém o notara. Uma vez lá dentro, impressionava-se com a cordialidade dos serviços e ficava para repousar, propiciando ao hoteleiro, desse modo, rendimentos que ele não conseguira por tanto tempo.

Às vezes, o esforço, a persistência e a insistência não são suficientes para levar-nos ao objetivo almejado. É preciso mudar.

Mudar conceitos, a forma de pensar, a forma de agir. Mudar o caminho traçado.

Autor desconhecido
0

Conselhos de Deus

- FILHO meu, não te esqueças da minha lei, e o teu coração guarde os meus mandamentos.
- Porque eles aumentarão os teus dias e te acrescentarão anos de vida e paz.
- Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao teu pescoço; escreve-as na tábua do teu coração.
- E acharás graça e bom entendimento aos olhos de Deus e do homem.
- Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.
- Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.
- Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao SENHOR e aparta-te do mal.
- Isto será saúde para o teu âmago, e medula para os teus ossos.
- Honra ao SENHOR com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos;
- E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.
- Filho meu, não rejeites a correção do SENHOR, nem te enojes da sua repreensão.
- Porque o SENHOR repreende aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem. (Provébios 3:1 a 12)
0

QUERIA SER

QUERIA SER

AMANHECER: Para fazer um dia a mais de felicidade na Terra.

AMOR: Para unir as pessoas e lhes dizer que sou apenas uma delas!

CANTO: Para alegrar os que vivem na tristeza.

CHUVA: Para correr toda a terra e molhar os campos devastados e secos.

DOR: Para amargar no peito dos infiéis.

FLOR: Para enfeitar os jardins no outono.

FORÇA: Para fugir dos que a utilizam para o mal.

GRITO: Para gritar a dor dos que sofrem em silêncio.

LÁGRIMA: Para fazer chorar os corações insensíveis.

LUAR: Para brilhar na noite dos amores incompreendidos.

LUZ: Para iluminar os que vivem na escuridão.

NOITE: Para acalentar os que lutam durante o dia.

OLHOS: Para fazer enxergar os cegos de verdade.

SILÊNCIO: Para fazer calar as vozes que atordoam o coração do homem.

SINO: Para repicar nos Natais dos que possuem recordações amargas.

SOL: Para fazer brilhar os que não têm lua.

SONHO: Para colorir o sono dos realistas petrificados.

SORRISO: Para encantar os lábios dos amargurados.

VIDA: Para fazer nascer os que estão morrendo.

VEÍCULO: Para trazer de volta os que partiram deixando saudades.

VOZ: Para fazer falar os que sempre se calaram.
1

copyright © . all rights reserved. designed by Color and Code

grid layout coding by helpblogger.com