MENU

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

quem foi?
Quem ensinou às aves os volteios deliciosos que enchem nossos olhos de encantamento e de paz?

Quem ensinou aos astros o ballet incomparável de milhões que não se chocam em disparada pelas alturas?

Quem ensinou aos peixes a transformar o fundo do mar em imenso parque aquático dos mais estupendos nadadores?

A criatura humana, que marcha descuidada, tem movimentos rítmicos que predispõem para a dança!

As folhas que caem das árvores vêm dançando antes de chegar ao chão...

Os ventos, a luz, as marés, o bater do coração --- tudo Te exalta, Criador de ritmos Deus-Harmonia, Deus-Poeta!

Quem semeou o egoísmo no coração humano?

E será verdade que rebentam do egoísmo sete fraquezas --- Mães de todas as fraquezas e perturbadoras da harmonia no íntimo do íntimo da criatura humana?

Quem foi

INFÂNCIA

Meu pai montava a cavalo, ia para o campo.

Minha mãe ficava sentada cosendo.

Meu irmão pequeno dormia.

Eu sozinho menino entre mangueiras

lia a história de Robinson Crusoé,

comprida história que não acaba mais.



No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu

a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu

chamava para o café.

Café preto que nem a preta velha

café gostoso

café bom.



Minha mãe ficava sentada cosendo

olhando para mim:

- Psiu... Não acorde o menino.

Para o berço onde pousou um mosquito.

E dava um suspiro... que fundo!



Lá longe meu pai campeava

no mato sem fim da fazenda.



E eu não sabia que minha história era mais bonita

Que a de Robinson Crusoé...



Carlos Drummond de Andrade

Infância

APENAS ESTA MANHÃ

Apenas nesta manhã, eu vou deixar você escolher o que vai vestir, sorrir e dizer que está ótimo.

Nesta manhã, eu vou deixar de lado a roupa pra lavar, pegar você e levá-lo ao parque.

Apenas nesta manhã, eu vou deixar a louça na pia e pedir que você me ensine a montar quebra-cabeças.

Apenas nesta tarde, vou desligar o telefone, e sentar com você no quintal para soltar bolhas de sabão.

Apenas nesta tarde, não vou gritar nenhuma vez, nem mesmo resmungar, quando você insistir em ir até o sorveteiro.

Apenas nesta tarde, não vou me preocupar com o que você vai ser quando crescer.

Vou deixar você me ajudar a assar biscoitos e não vou ficar atrás de você tentando consertá-los.

Apenas nesta noite, vou segurá-lo em meus braços e contar-lhe uma história sobre como você nasceu e como eu te amo.

Apenas nesta noite, eu vou deixar você espirrar a água do banho e não ficarei nervosa.

Apenas nesta noite, vou deixar você ficar acordado até tarde, enquanto ficamos sentados na soleira, contando as estrelas.

Apenas nesta noite, enquanto eu passar meus dedos entre seus cabelos vou simplesmente ser grata a Deus por ter me dado o maior presente do mundo.

Autor desconhecido

********

A felicidade não está nas coisas, mas em nós. (Richard Wagner)

apenas esta manhã

QUANDO OS FILHOS CRESCEM...


Há um momento na vida dos pais em que eles se sentem órfãos. Os filhos, dizem eles, crescem de um momento para outro.
É paradoxal. Quando nascem, pequenos e frágeis, os primeiros meses parecem intermináveis. Pai e mãe se revezam à cata de respostas aos seus estímulos nos rostinhos miúdos.
Desejam que eles sorriam, que agitem os bracinhos, que sentem, fiquem em pé, andem, tudo é uma ansiosa expectativa.
Então, um dia, de repente, ei-los adolescentes. Não mais os passeios com os pais, nos finais de semana, nem férias compartilhadas em família.
Agora tudo é feito com os amigos.
Olham para o rosto do menino e surpreendem os primeiros fios de barba, como a mãe passarinho descobre a penugem nas asas dos filhotes. A menina se transforma em mulher. É o momento dos voos para além do ninho doméstico.
É o momento em que os pais se perguntam: Onde estão aqueles bebês com cheirinho de leite e fralda molhada? Onde estão os brinquedos do faz-de-conta, os chás de nada, os heróis invencíveis que tudo conseguiam em suas batalhas imaginárias contra o mal?
As viagens para a praia e o campo já não são tão sonoras. A cantoria infantil e os eternos pedidos de sorvetes, doces, pipoca foram substituídos pelo mutismo ou a conversa animada com os amigos com que compartilham sua alegria.
Os pais se sentem órfãos de filhos. Seus pequenos cresceram sem que eles possam precisar quando. Ontem, eram crianças trazendo a bola para ser consertada. Hoje, são os que lhes ensinam como operar o computador e melhor explorar os programas que se encontram à disposição.
A impressão é que dormiram crianças e despertaram adolescentes, como num passe de mágica.
Ontem, estavam no banco de trás do automóvel; hoje, estão ao volante, dando aulas de correta condução no trânsito.
É o momento da saudade dos dias que se foram, tão rápidos. É o momento em que sentimos que poderíamos ter deixado de lado afazeres sempre contínuos e brincado mais com eles, rolando na grama, jogando futebol.
Deveríamos tê-los ouvido mais, deliciando-nos com o relato de suas conquistas e aventuras, suas primeiras decepções, seus medos. Tê-los levado mais ao cinema, desfrutando das suas vibrações ante o heroísmo dos galãs da tela.
Tempos que não retornam, a não ser na figura dos netos, que nos compete esperar.
Pais, estejamos mais com nossos filhos. A existência é breve e as oportunidades preciosas.
Tudo o mais que tenhamos e que nos preencha o tempo não compensará as horas dedicadas aos Espíritos que se amoldaram nos corpos dos nossos pequenos, para estar conosco.
Não economizemos abraços, carícias, atenções, porque nosso procedimento para com eles lhes determinará a felicidade do crescimento proveitoso ou a tristeza dos dias inúteis do futuro...


Recebi sem indicação da AUTORIA.

QUANDO OS FILHOS CRESCEM...

Destralhe-se
Diz dona Francisca, à empregada que acaba de chegar:

- "Antes de dar uma geral na casa, deixa eu te dar um abraço que preste!" e ela me apertou.

Na matemática de dona Francisca,
="quatro abraços por dia dão para sobreviver;
=oito ajudam a nos manter vivos;
=12 fazem a vida prosperar".

Falando nisso, "vida nenhuma prospera se estiver pesada e intoxicada".

Já ouviu falar em toxinas da casa? Pois são:
- objetos que você não usa,
- roupas que você não gosta ou não usa há um ano,
- coisas feias,
- coisas quebradas, lascadas ou rachadas,
- velhas cartas, bilhetes,
- plantas mortas ou doentes,
- recibos/jornais/revistas, antigos,
- remédios vencidos,
- meias velhas, furadas,
- sapatos estragados...

Ufa, que peso!
"O que está fora está dentro e isso afeta a saúde", aprendi com dona Francisca.
"Saúde é o que interessa. O resto não tem pressa!",
ela diz, enquanto me ajuda a 'destralhar', ou liberar as tralhas da casa...
O 'destralhamento' é a forma mais rápida de transformar a vida e ajudar as outras eventuais terapias.
Com o destralhamento:

- A saúde melhora;
- A criatividade cresce;
- Os relacionamentos se aprimoram...

É comum se sentir cansado, deprimido, desanimado, em um ambiente cheio de entulho,
pois "existem fios invisíveis que nos ligam à tudo aquilo que possuímos".

Outros possíveis efeitos do "acúmulo e da bagunça":
- sentir-se desorganizado; fracassado; limitado; aumento de peso; apegado ao passado...

> No porão e no sótão, as tralhas viram sobrecarga;
> Na entrada, restringem o fluxo da vida;
> Empilhadas no chão, nos puxam para baixo;
> Acima de nós, são dores de cabeça;
> "Sob a cama, poluem o sono".
> "Oito horas, para trabalhar; Oito horas, para descansar; Oito horas, para se cuidar."

Perguntinhas úteis na hora de destralhar-se:
- Por que estou guardando isso?
- Será que tem a ver comigo hoje?
- O que vou sentir ao liberar isto?

...e vá fazendo pilhas separadas...
- Para doar!
- Para jogar fora!

Para destralhar mais:
- livre-se de barulhos,
- das luzes fortes,
- das cores berrantes,
- dos odores químicos,
- dos revestimentos sintéticos...
e também...
- libere mágoas,
- pare de fumar,
- diminua o uso da carne,
- termine projetos inacabados.

"Acumular nos dá a sensação de permanência, apesar de a vida ser impermanente",
diz a sabedoria oriental.
O Ocidente resiste a essa idéia e, assim, perde contato com o sagrado instante presente.

Dona Francisca me conta que
="as frutas nascem azedas e no pé, vão ficando docinhas com o tempo"..
a gente deveria de ser assim, ela diz:

"Destralhar ajuda a adocicar."

Se os sábios concordam, quem sou eu para discordar?


===
“Dê a quem você ama: asas para voar, raízes para voltar e motivos para ficar ”*Dalai Lamas.

Destralhe-se