MENU

sábado, 2 de julho de 2011


O Que Você Está Fazendo?

Ao passar algum tempo em nossa casa, minha neta Ana começou a perguntar repetidamente: “Tá fazendo o quê, vovô?” Eu podia estar trabalhando no meu computador, calçando meus sapatos para sair, sentado lendo ou ajudando na cozinha, ela se aproximava de mim e perguntava o que eu estava fazendo.
Após responder a ela algumas dúzias de vezes com “Pagando contas”, “Indo à loja”, “Lendo o jornal”, “Ajudando a vovó”, conclui que ela estava fazendo uma pergunta chave.
Responder a uma menininha curiosa sobre tudo o que fazemos é uma coisa, mas responder a Deus sobre nossos atos é infinitamente mais importante. Não seria útil pensar em Deus chegando ao nosso lado a qualquer momento para perguntar “O que você está fazendo?” Imagine com que frequência as nossas respostas pareciam sem significado ou vazias.
“Estou passando uma tarde inteira assistindo à TV. Estou comendo mais do que deveria. Estou passando mais um dia sem falar com o Senhor. Estou discutindo com meu cônjuge”. A lista seria longa – para nosso constrangimento.
Somos ensinados que devemos usar o nosso tempo com cuidado – com a glória de Deus em vista (1 Coríntios 10:31; Colossenses 3:23). Portanto, esta pergunta é muito útil, pois Deus quer saber – “O que você está fazendo?”

FONTE:
J. David Branon
Nosso Andar Diário – Ministério RBC

O Que Você Está Fazendo?

A VERDADEIRA AMIZADE

Algumas pessoas encontravam-se reunidas num bosque quando derrepente surge um belo anjo
que com sua voz mansa e serena, dessas que só os anjos possuem, pede a elas que formem uma
fila ali, pois Deus descerá do céu e realizará um desejo. Mas apenas um desejo, ressaltou o anjo:
aquele que ele julgar ser o mais justo a realizar.
Formou-se então uma fila de tamanho mediano. Nesta fila encontravam-se dois garotinhos, um
garotinho mudo e outro garotinho cadeirante, que eram muito amigos.
Deus então surge e começa a ouvir o desejo dos presentes.
A fila foi andando vagarosamente até chegar a vez do garotinho mudo ir falar a Deus de seu
desejo. Porém o garotinho cadeirante que vinha logo atrás ficou muito triste pelo amigo, porque
sabia que ele jamais teria seu desejo realizado. Pois como ele era mudo não poderia dizer a
Deus qual era seu desejo, e Deus sem saber qual o era jamais poderia julgar se era o mais justo a
realizar.
O garotinho mudo permanece algum tempo frente a Deus e logo se retira. Como o garotinho
cadeirante vinha logo atrás, ele então aproximou-se de Deus com sua cadeira de rodas e foi falar a
ele qual era seu maior desejo.
Ao retirar-se dali, já num local bastante afastado, o garotinho foi logo tentando andar, e qual não
foi sua surpresa ao conseguir caminhar quase que normalmente.
Ele então não contendo-se de alegria, resolveu voltar até o bosque para agradecer a Deus por ter
escolhido o seu desejo como o mais justo a realizar, mesmo antes de ouvir o desejo de todos que
se encontravam na fila. Porém ele resolveu voltar ate lá de cadeira de rodas para que as pessoas
que ali ainda se encontravam não suspeitasse que Deus havia escolhido o seu desejo como o mais
justo a realizar.
Ele então fica aguardando Deus ouvir o ultimo da fila. Após ouvir então o último desejo Deus
começa a se preparar para retirar-se. Porém aquele garotinho aparece em sua frente e Deus então
pergunta a ele:
- O que queres meu filho?
E o garotinho então responde alegre:
- Vim agradecê-lo por ter escolhido o meu desejo como o mais justo a realizar.
Deus então olha para ele e com muita mansidão responde:
- Mas não foi o seu desejo o mais justo a realizar-se, e sim o de um garotinho mudo que tinha
como maior desejo de sua vida ver andar seu melhor amigo.

AUTOR: ALAN FERRAZ DE CAMPOS

A VERDADEIRA AMIZADE