MENU

quinta-feira, 28 de abril de 2011

O MESTRE DOS MESTRES

          Que o "MESTRE DOS MESTRES" lhe ensine que nas falhas e
lágrimas se esculpe a sabedoria.

          Que o "MESTRE DA SENSIBILIDADE" lhe ensine a contemplar as
coisas simples e a navegar nas águas da emoção.

          Que o "MESTRE DA VIDA" lhe ensine a não ter medo de viver e
a superar os momentos mais difíceis da sua história.

          Que o "MESTRE DO AMOR" lhe ensine que a vida é o maior
espetáculo no teatro da existência.

          Que o "MESTRE INESQUECÍVEL" lhe ensine que os fracos julgam
e desistem, enquanto os fortes compreendem e têm esperança.

          Não somos perfeitos. Decepções, frustrações e perdas sempre
acontecerão, mas Deus é o artesão do espírito e da alma humana.

          Não tenha medo! Depois da mais longa noite surgirá o mais
belo amanhecer. Espere-o!

          Todos nós passamos por determinadas angústias e ansiedades,
pois algumas mazelas da vida são imprevisíveis e inevitáveis.

          Na escola da existência aprende-se que se adquire
experiência não só com os acertos e as conquistas, mas, com as
derrotas, as perdas e os caos emocional e social.

          Foi nessa escola tão sinuosa que Jesus se tornou o "MESTRE
DOS MESTRES".


Fonte: O Mestre dos Mestres – Augusto Cury

O MESTRE DOS MESTRES, de Augusto Cury

Um olhar sobre a Cidade,

 

"Um olhar sobre a cidade" compõe-se de um conjunto de crônicas que D. Helder Câmara leu ao longo de alguns meses (1982) ao microfone da Rádio Olinda de Pernambuco.

O público ouvinte desse programa compunha-se, na sua grande maioria, das camadas mais simples da população. Estas crônicas guardam, portanto, essas características.

Trata-se de mensagem muito intensa, como foi intensa a longa vida de D. Helder. Nessa mensagem encontramos caminhos de amor, fraternidade, esperança e prece ao Deus da Vida.

D. Helder Câmara é mundialmente conhecido pelo seu imenso amor à causa dos empobrecidos, os privilegiados do amor de Deus.

Com grande alegria PAULUS Editora presta homenagem a D. Helder, publicando estas crônicas agora em forma de livro.

                                   A Editora

 

Do livro UM OLHAR SOBRE A CIDADE, de D. Helder Câmara-3ª edição/2009-PAULUS 

 

UM OLHAR SOBRE A CIDADE, de D. Helder Câmara

ARVOREANDO

Uma das coisas que eu acho fascinante em Jesus, é a capacidade que ele tinha de encontrar no meio da multidão, pessoas.
Ele era capaz de reconhecer em cima de uma árvore um homem, e descobrir nele um amigo.
Bonito uma amizade que nasce a partir da precariedade, quando você chega desprevenido, o outro viu o que você tem de pior, e mesmo assim, ele se apaixonou por você. Amor concreto, cotidiano, diário.
Jesus se apaixonava assim pelas pessoas e as tornava suas amigas. As trazia para perto Dele.
É fascinante olhar para a capacidade que esse homem, que esse Deus tem, de investigar a miséria do outro e encontrar a pedra preciosa que está escondida. Isso é Páscoa, isso é ressurreição. É quando no sepulcro do nosso coração, alguém descobre um fio de vida, e ao puxar esse fio, vai fazendo com que a gente se torne melhor.
Não há nada mais bonito do que você ser achado quando você está perdido.
Não há nada mais bonito do que você ser encontrado, no momento que você não sabe para onde ir e não sabe nem onde está...
O amor humano tem a capacidade de ser o amor de Deus na nossa vida por causa disso: porque ele nos elege!
Por isso que é bom termos amigos, porque na verdade, as pessoas amigas antecipam no tempo, aquilo que acreditamos ser eterno...
Quando elas são capazes de olhar para nós e descobrir o que temos de bonito. Mesmo que isso, às vezes costuma ficar escondido por trás daquilo que é precário.
Por isso agradeço muito a Deus pelos amigos que tenho. Pelas pessoas que descobriram no que eu tenho de pior, uma coisinha que eu tenho de bom, e mesmo assim continuam ao meu lado, me ajudando a ser gente, me ajudando a ser mais de Deus, ajudando a buscar dentro de mim, a essência boa que acreditamos que Deus colocou em cada um de nós.

Ter amigos, é como arvorear: lançar galhos, lançar raízes... Para que o outro quando olhar a árvore, saiba que nós estamos ali...Que nós permanecemos para fazer sombra, para trazer ao outro, um pouco de aconchego que ás vezes ele precisa na vida...

ARVOREIE! CRIE ÁRVORES! SEJA AMIGO!

Pe. Fábio

ARVOREANDO, de Pe. Fábio de Melo