O coração é enganoso

O coração é enganoso e leva à perdição aquele que se deixa guiar por ele. Um exemplo muito comum é a paixão. Quando um indivíduo se vê apaixonado, fica cego para a realidade que o cerca; e aquela ou aquilo por quem está apaixonado se torna o ser mais importante em sua vida, confiando plenamente neste ser, acima de todas as coisas, até mesmo do próprio Deus.

É o que acontece também com aquele que se vê dominado pelos vícios. A pessoa acredita piamente que a droga poderá resolver seus problemas (e aparentemente, por momentos, sente-se feliz). Mas está tão cego, tão "apaixonado" que não consegue enxergar a verdade.

A palavra de Deus é clara "Maldito o homem que confia no homem" , ou seja, toda vez que a pessoa confia mais em alguém ou coloca o seu coração em alguma coisa, deixando Deus em segundo plano, atrai para si e para o outro a maldição.

Nas relacões pessoais em geral é comum confiar muito no outro, ouvir os seus conselhos, às vezes, sem parar para refletir se aquela palavra é ou não contrária à vontade de Deus; e a pessoa que a escuta aceita, fica muito grata ao seu "amigo". O sentimento de amizade vai se estreitando; de modo que o outro não consegue mais tomar uma decisão ou viver sem se aconselhar com aquele amigo, está completamente entregue e na dependência do outro. Nesse contexto, não é raro acontecerem decepções, traições, nos mais variados níveis e graus de relacionamento.

Não quero dizer com isso que não se deve conversar, ou se relacionar com as pessoas, mas que é preciso tomar muito cuidado para não se deixar enganar pelo coração. "Bendito o homem que confia no Senhor e cuja esperança é o Senhor" , precisamos criar o hábito de falar com
Deus, buscar a presença de Deus e a direção do Espírito Santo; confiando, primeiramente, no Senhor Jesus, naquilo que Ele nos fala através de sua palavra.



Leia:

Jeremias 17

5 Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do Senhor!

6 Porque será como o arbusto solitário no deserto e não verá vir bem algum; antes morará nos lugares secos do deserto, em terra salgada e inabitada.

7 Bendito o homem que confia no Senhor e cuja esperança é o Senhor.

8 Porque ele é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e, no ano de sequidão, não se perturba, nem deixa de dar fruto.

9 Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o poderá conhecer?

10 Eu, o Senhor, esquadrinho a mente, eu provo o coração; e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações.



Hoje em dia, o acesso ao conhecimento, à informação, é muito grande e, através dos meios de comunicação e da internet, infinitamente maior que no passado.

O contato interpessoal, então, tornou-se ilimitado; não existem fronteiras. É possível estar em contato com pessoas de qualquer parte do mundo num simples clic; portanto, o cuidado para não se deixar enganar ou seduzir pelo sentimento, ou apelos do coração deve ser ainda maior.
0

O palácio maravilhoso

 

O Palácio Maravilhoso

Conta-se que certa vez, um rei do Iêmen, chamado Hiamir, chamou um dos seus ministros e disse-lhe: "quero fazer longa viagem à Tiapur, uma região longínqua, pobre e triste, árida e sem conforto.
 
Determino que vá antes de mim, e logo que lá chegar, mande que seja construído um magnífico palácio, com largas varandas de marfins e pátios floridos.
 
Nesse palácio ficarei hospedado durante uma temporada, com tranqüilidade e conforto."
 
O Vizir respondeu humildemente: "escuto e obedeço, ó rei."
 
Dias depois o Vizir partiu, em uma caravana com numerosos camelos carregados de ouro.
 
Ao chegar à cidade o Vizir ficou desolado com o estado de abandono em que se achava o povo.
 
Encontrou pelas estradas crianças famintas e centenas de infelizes, morrendo de inanição.
 
Os quadros de miséria e sofrimento que se desenrolavam, a cada passo e a todo instante, torturavam o coração do poderoso ministro.
 
Ele trouxera mais de trinta mil dinares, que deveriam ser gastos na construção de um grandioso palácio!
 
Que fez o Vizir?
 
Levado por um impulso irresistível, em vez de executar a ordem do rei, resolveu gastar o dinheiro que trazia, beneficiando a infeliz população.
 
Mandou construir abrigos para os desamparados.
 
Distribuiu mantimentos entre os mais necessitados.
 
Determinou que todos os enfermos fossem, sem demora, medicados e forneceu pão aos que padeciam fome.
 
Ao fim de alguns meses, notava-se uma transformação completa da cidade.
 
Os homens haviam voltado ao trabalho e por toda a parte reinava a alegria.
 
As crianças brincavam nos pátios e as mulheres cantavam nas portas das tendas.
 
E do palácio maravilhoso, encomendado pelo rei, nada existia...
 
Quando o rei Hiamir chegou a Tiapur foi recebido por uma grande manifestação de júbilo da população.
 
"Sinto-me feliz" - confessou o monarca - "por saber que sou sinceramente estimado pelos meus súditos.
 
Mas onde está o palácio de Tiapur?" Perguntou.
 
"Antes de falar do palácio, ó rei, tenho um pedido a lhe fazer." Disse-lhe o Vizir.
 
"Segundo as leis, aquele que o desobedecer, praticando um abuso de confiança, deve ser condenado à morte.
 
Pois, houve, ó rei, um homem de sua confiança que praticou tal delito.
 
Espera-se que seja determinada a execução do culpado sem demora." Disse o Vizir serenamente.
 
"Quem é o acusado?" Questionou o rei.
 
"O criminoso sou eu." Disse o Vizir sem hesitar.
 
E sem ocultar a menor parcela da verdade, o Vizir descreveu a miséria em que se encontrava o povo.
 
Por fim, confessou que, penalizado diante de tanto sofrimento, em vez de construir o palácio real, resolveu gastar os recursos que lhe foram confiados para mudar a triste sorte da população.
 
"Não cumpri a ordem recebida, por isso aguardo o castigo de que me fiz merecedor." Concluiu.
 
"Levante-se, meu amigo." Ordenou emocionado o rei. "Vejo que seu trabalho é responsável pela edificação do mais belo dos palácios que já conheci. Vejo as torres cintilantes nas fisionomias alegres das crianças; admiro as largas varandas de marfim no sorriso radiante dos meus súditos; reconheço os pátios floridos no olhar de gratidão das mães felizes. Como é majestoso e belo, ó Vizir, o palácio que a sua bondade fez se erguer nas terras de Tiapur."
 
...............
 

Do livro os Melhores contos, de Malba Tahan, ed. Record, 2002.



--
Postado por aponarte no Para pensar e sentir
0

O bambú chinês

   

O Bambu Chinês

Depois de plantada a semente deste incrível arbusto, não se vê nada por aproximadamente 5 anos, exceto um lento desabrochar de um diminuto broto a partir do bulbo.

 

Durante 5 anos, todo o crescimento é subterrâneo, invisível a olho nu, mas uma maciça e fibrosa estrutura de raiz que se estende vertical e horizontalmente pela terra está sendo construída. Então, no final do 5† ano, o bambu chinês cresce até atingir a altura de 25 metros.

 

Um escritor de nome Covey escreveu:

 

"Muitas coisas na vida pessoal e profissional são iguais ao bambu chinês. Você trabalha, investe tempo, esforço, faz tudo o que pode para nutrir seu crescimento, e às vezes não vê nada por semanas, meses ou anos. Mas se tiver paciência para continuar trabalhando, persistindo e nutrindo, o seu 5† ano chegará, e com ele virão um crescimento e mudanças que você jamais esperava."

 

O bambu chinês nos ensina que não devemos facilmente desistir de nossos projetos e de nossos sonhos. Em nosso trabalho especialmente, que é um projeto fabuloso que envolve mudanças de comportamento,de pensamento, de cultura e de sensibilização, devemos sempre lembrar do bambu chinês para não desistirmos facilmente diante das dificuldades que surgirão.

 

Procure cultivar sempre dois bons hábitos em sua vida: a Persistência e a Paciência, pois você merece alcançar todos os seus sonhos!

 

 

Mensagem recebida por E-mail.



--
Postado por aponarte no Para pensar e sentir
0

Coisas importantes a aprender com a arca de Noé

Não perca o barco!
Lembre-se de que estamos todos no mesmo barco.
Planeje para o futuro. Não estava chovendo quando Noé construiu a arca.
Mantenha-se em forma. Quando voc^^e tiver 60 anos, alguém pode lhe
pedir para fazer algo realmente grande.
Não dê ouvido aos críticos; apenas continue a fazer o trabalho que
precisa ser feito.
Construa seu futuro em terreno alto.
Por segurança, viaje em pares.
A velocidade nem sempre é uma vantagem.
Os caramujos estavam a bordo com os leopardos.
Quando estiver estressado, flutue por um tempo.
Lembre-se, a Arca foi construída por amadores; o Titanic
por profissionais.
Não importa a tempestade, pois quando você está com Deus
há sempre um arco-íris te esperando.

Luziane
0

VERDADE

Muitas vezes a verdade está diante de seus olhos e a pessoa não consegue enxergar, fica cega diante de situações evidentes; mas está impedida de ver, simplesmente, porque não se permite, por orgulho, por "não dar o braço a torcer", por se deixar enganar pelas aparências, e assim vai se afastando cada vez mais da verdade.



Surge então um vazio que, por momentos parece estar prenchido, mas como tem "certeza" de que está certa, vai em frente. É o que se chama "falsa impressão de bem-estar". A pessoa tem a convicção de que está bem ou que a vida é assim mesmo; acomoda-se e aceita tudo como natural ou da vontade de Deus.



A pessoa sai em busca de respostas para seus anseios em filosofias, doutrinas, crenças, costumes, tradições, bebida e drogas em geral, na prostituição, procurando se preencher; e até consegue aparentemente momentos de felicidade, mas daí a pouco vem a realidade, e aquela sensação de felicidade dá lugar novamente ao vazio e à necessidade de preenchê-lo.



Quero dizer apenas uma coisa: todo vazio, seja ele em que área for; toda angústia, medo, solidão, rejeição; toda dúvida, divisão, confusão, derrota, tristeza; toda dívida; seja qual for o problema, a pessoa só conseguirá resolver, solucionar ou se libertar quando tiver o Espírito Santo dentro de si, quando se permitir um encontro real com Ele. Quando amar a Deus em Espírito, em Verdade e de todo o seu coração.



Não se engane com o seguinte pensamento, que corre por aí "Todos os caminhos levam a Deus, se não prejudicam a ninguém... (será que não prejudicam mesmo?)". A verdade é uma só, e conhecê-la é fundamental para não cair nas armadilhas e enganos do inimigo que quer afastá-lo do caminho certo: o Senhor Jesus (Jesus é o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai senão por Ele.).



I Coríntios 2
14
Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.

15 Mas o que é espiritual discerne bem tudo, enquanto ele por ninguém é discernido.


Pense nisso, e busque a cada dia a presença de Deus, a Verdade que só Ele pode lhe mostrar!


Um abraço.
0

CAMINHO, VERDADE E VIDA

“Tenho ouvido só falar do seu poder.

Tanto tempo eu te sirvo sem te conhecer.

Este Deus desconhecido, de quem tanto ouço falar,

Ele derrubou muralhas, este Deus abriu o mar.

Mas de que me adianta com os meus lábios te adorar,

Se a minha vida, ó Deus, não te glorificar,

Sei que o tempo não mudou a força do seu poder.

Deus, eu sei que tu és grande e eu vim te conhecer.


Me faz te conhecer, transforma a minha vida,

Faz os meus olhos verem o que não viram ainda.

Não quero informações, se materializa em mim, ó Deus.

Quem não conhece a Deus, recua na batalha,

Mas quem conhece vai em frente, pois Ele não falha.

Quem conhece o Senhor, na vida será sempre um vencedor.”





Quem primeiro teve o privilégio, a graça, a honra de se encher do Espírito Santo, não apenas em espírito, mas também fisicamente, foi Maria, a virgem que ficou grávida do Espírito Santo, e teve em seu ventre a presença física de Deus, na pessoa de Jesus.Nós mulheres, e as pessoas de um modo geral, podemos e devemos nos espelhar em Maria, sim. Uma mulher abençoada, pura, submissa à vontade de Deus. Deus a escolheu para fazer nela a sua morada e ela aceitou sem questionar.




A partir daquele momento, tudo o que estava escrito e fora profetizado pelos antigos, Homens de Deus, começava, então, a se concretizar: a vinda do Cristo, aquele que traria a salvação à humanidade, sendo Ele pertencente à descendência do rei Davi, pois José, esposo de Maria era da casa de Davi, homem temente e fiel e a Deus em tudo. Seguindo a linha de descendentes de Jesus, partindo do rei Davi, chegaremos a Abraão, nosso grande patriarca da fé, a quem Deus prometeu uma grandiosa descendência, como o número das estrelas do céu.




Jesus nos deixou por herança a salvação e o Reino de Deus, que precisam ser conquistados a cada dia, com as lutas, as batalhas espirituais que surgem a cada instante na nossa vida. Para nos fortalecermos e relembrarmos a nossa condição de dependência em relação a Deus, reconhecendo tudo o que Jesus fez por nós, Ele nos deixou também algo sagrado, que devemos realizar justamente com este objetivo, em memória D ’Ele: a Santa Ceia, onde O recebemos também em nós, não apenas espiritualmente, mas também fisicamente no pão (corpo) e no vinho (sangue) consagrados.




Mas, para conhecer Jesus, não basta apenas conhecer a sua história, o que esta escrito ou o que se fala sobre Ele. Conhecer Jesus é algo pessoal e intransferível, e depende unicamente de uma atitude de fé. De entrega total à Sua vontade, reconhecendo-O com o seu Senhor e Salvador, como o único em sua vida, com quem se pode contar sempre, confiar sempre; juntamente com o Pai e o Espírito Santo, dando a direção certa à sua vida.




JESUS É O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA!
0

A CARREGADORA DE PEDRAS

(Sonia Biondo)

Desde que conquistou o direito à jornada dupla de trabalho, a chamada mulher moderna ainda parece estar longe de conseguir desfazer o mal-entendido que provocou a briga pela igualdade profissional com os homens. Não era bem isso o que desejava. Mas, no afã de se liberar de outras opressões, ela acabou partindo para o mercado de trabalho como se ele fosse a solução de todos os problemas financeiros, conjugais, maternais e muitos outros “ais”. E pagou o preço da precipitação, claro. Agora não adianta chorar sobre o leite derramado – até porque a maior parte das vezes continua sendo ela que vai limpar, ah, ah! Falando sério, todas nós sabemos que há muito a fazer para promover alguns ajustes e atualizações nessa relação de direitos e deveres de homens e mulheres. Como falar sobre isso ajuda, vamos lá.

Em primeiro lugar, a questão do tempo livre. Que não existe, de fato. Aquele ditado “descansa carregando pedras” foi feito para ela. Trabalhando fora ou dentro de casa, a mulher dificilmente se livra da carga das tarefas domésticas, mesmo que não se envolva pessoalmente. Costuma ser dela a responsabilidade pela arregimentação das empregadas, faxineiras, babás, jardineiros, lavadeiras, passadeiras, prestadores de serviço em geral, sem falar no abastecimento da casa. (...)

Depois, com o desaparecimento gradual da parceria patroa/empregada doméstica, homens e mulheres terão, mais cedo do que se pensam, que lidar com a administração do caos doméstico. Sem privilégios. E a primeira providência para esse futuro cor-de-rosa começa com a educação progressista dos filhos, os novos maridos e esposas que contarão com uma boa ajuda de um arsenal de maravilhas eletrônicas – entre elas, a de empregada-robô. Que não enguiça. Porque, se enguiçar, já sabem quem vai mandar consertar. Ou não?


Sonia Biondo é jornalista e escritora. Texto extraído do Jornal do Brasil.
0

Não leve a vida tão a sério

   

NÃO  LEVE  A  VIDA  TÃO  A  SÉRIO

 Existem duas coisas que podem incomodar, se você é bem sucedido ou mal sucedido.

Se você for bem sucedido, não há razão para se preocupar.

Se for mal sucedido, das duas uma, ou você conserva a saúde, ou você fica doente.

Se você conservar a saúde não há razão para se incomodar.

Se você ficar doente das duas uma, ou você se cura ou você morre.

Se você se curar, não há razão para se preocupar.

Se você morrer das duas uma, ou você vai para o céu, ou para o inferno.

Se você for para o céu, não tem motivo para se preocupar.

Se for para o inferno vai ter que cumprimentar tantos conhecidos,

que não vai ter tempo de se preocupar.

(do livro " A Bíblia dos otimistas")

 

 



--
Postado por aponarte no Para pensar e sentir
0

A vida (Henfil)


A  VIDA

"Por muito tempo eu pensei que a minha vida fosse se tornar uma vida de verdade.

Mas sempre havia um obstáculo no caminho, algo a ser ultrapassado antes de

começar a viver, um trabalho não terminado, uma conta a ser paga.

Aí sim, a vida de verdade começaria. Por fim, cheguei a conclusão de que esses

obstáculos eram a minha vida de verdade. Essa perspectiva tem me ajudado a

ver que não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho!

Assim, aproveite todos os momentos que você tem.

E aproveite-os mais se você tem alguém especial para compartilhar,

especial o suficiente para passar seu tempo;

e lembre-se que o tempo não espera ninguém.

Portanto, pare de esperar até que você termine a faculdade;

até que você volte para a faculdade; até que você perca 5 quilos;

até que você ganhe 5 quilos; até que você tenha tido filhos;

até que seus filhos tenham saído de casa; até que você se case;

até que você se divorcie; até sexta à noite;

até segunda de manhã; até que você tenha comprado um carro ou uma casa

nova; até que seu carro ou sua casa tenham sido pagos;

até o próximo verão, outono, inverno; até que você esteja aposentado;

até que a sua música toque; até que você tenha terminado seu drink;

até que você esteja sóbrio de novo; até que você morra;

E decida que não há hora melhor para ser feliz do que agora mesmo...

Lembre-se: "Felicidade é uma viagem, não um destino". (Henfil)



--
Postado por aponarte no Para pensar e sentir
0

Liberdade

“Foi para a liberdade que Cristo nos libertou” assim diz a palavra de Deus. Fomos feitos, constituídos, escolhidos por Deus. Somos o melhor de Deus!

Por que nos prender, então, a objetos, imagens, rituais, superstições, magias, encantos, ídolos, ao próprio dinheiro e a tantas outras coisas que nos escravizam e nos impedem de enxergar a verdade, se Deus nos fez livres em todos os sentidos?

Até mesmo para nos prendermos a Deus somos livres. Deus nos deu o direito de escolha, o livre-arbítrio. Ele já está do nosso lado e quer se unir a nós, mas a iniciativa precisa ser nossa. O Espírito Santo é educado, Ele não entra em nós se não o convidarmos, se não chamarmos por Ele. Se não reconhecemos que precisamos da Sua Presença em nossa vida, Ele não se manifestará em nós.

Porém, é mais fácil perceber esta verdade quando se chega ao fundo do poço, quando a pessoa pensa que não há mais solução para a sua vida, para os seus problemas, e, só então, se lembra de buscar a presença de Deus, como o último dos meios para conseguir se livrar dos sofrimentos, da dor (quando este deveria ser o primeiro e o único caminho em tudo que acontece conosco).

Quando percebemos que somos os donos do nosso destino, que nós é quem fazemos as nossas escolhas, mas pedindo sempre a orientação do Espírito Santo, nos tornamos verdadeiramente livres de tudo o que nos escraviza. Isto, sim, é ser livre!

Portanto, antes de fazermos qualquer aliança com o homem, é preciso fazermos uma aliança real e verdadeira com Deus.
0

Recebemos o que damos


RECEBEMOS O QUE DAMOS

 

 

Se desejamos que nos compreendam em nossos pontos de vista comecemos a respeitar, mesmo que não concordemos, as opiniões alheias.

 

           

 

    

 

       Se desejamos que reconheçam o valor das atividades que desenvolvemos, aprendamos a atribuir a devida consideração ao que os outros fazem.

 

           

 

            Se desejamos receber do próximo, palavras de incentivo e aplauso pelo nosso modo de vida, não esqueçamos de também levar nosso estímulo àqueles que nos rodeiam.

 

           

 

            Se desejamos que a felicidade desabroche em nosso coração, exalando o perfume do bem estar, tomemos a iniciativa de plantar primeiro a felicidade nos corações que convivem conosco.

 

           

 

            Se desejamos que a paz tranqüilize o roteiro da nossa existência, procuremos imediatamente agir de forma que nossos atos possam serenar os dias do irmão de caminhada.

 

           

 

            Se desejamos que a sociedade descubra a importância dos nossos esforços para o bem comum, cuidemos de observar se o que estamos fazendo, realmente está proporcionando algum benefício social.

 

           

 

            Se desejamos que os nossos amigos, vizinhos e parentes nos tratem com simpatia e cordialidade, observemos se de nossa parte estamos emitindo tais sentimentos na direção deles.

 

           

 

            Se desejamos que o nosso patrão ou o nosso empregado corresponda às expectativas da dignidade, lisura e do fiel cumprimento dos deveres, reflitamos em nosso comportamento para concluir se estamos correspondendo aos anseios daqueles que também esperam de nós.

 

           

 

            Se desejamos que a nossa família nos ame e respeite integralmente, procuremos envolvê-la com carinho e ternura sempre.

 

           

 

            Se desejamos que o mundo nos atenda, sistematicamente, em nossos sonhos e desejos, analisemos nossa vida para vislumbrar o que estamos oferecendo de bom ao mundo.

 

           

 

            Em realidade, pela sábia lei de causa e efeito, de ação e reação, cada um colherá o reflexo do que oferecer aos outros. Assim, mediante o que somos, fazemos e pensamos, estaremos construindo uma vida de paz e felicidade ou edificando a nossa própria ruína.

 

 

 

            Portanto, nossas expectativas de viver uma jornada de plenas realizações depende, exclusivamente, do que fazemos e não do que os outros fazem.

 

         

 

(Do livro "Em busca da Paz", de Waldenir Aparecido Cuin)



--
Postado por aponarte no Para pensar e sentir
0

copyright © . all rights reserved. designed by Color and Code

grid layout coding by helpblogger.com